Circuito Tailândia

Tailândia Clássica

Circuito Tailândia Clássica

Artigo da Viagem: O sorriso que mora a norte

Quando pensamos na Tailândia imaginamos imediatamente praias paradisíacas, templos dourados e bonitos olhos rasgados e sorridentes. Porém, a Tailândia é um vasto país com cerca de 517.000 km2 e 62 milhões de habitantes. Uma parte bem atractiva do país é sem dúvida as praias e as ilhas do sul. Estas são bem conhecidas pelas ofertas em termos de actividades como o mergulho ou a escalada e também as fantásticas raves em noites de lua cheia que atraem milhares de jovens em busca da comunhão com a natureza num ambiente livre de preconceitos.
 
Porém, em termos industriais, históricos e também artísticos, o norte do país foi sempre predominante e com um turismo crescente, torna-se cada vez mais uma área de fácil acesso e muito interesse para qualquer turista.
 
Quando decidi viajar para o norte da Tailândia, desfolhei um guia e comecei a descobrir os pontos de maior interesse. Por exemplo: a norte de Banguecoque, Sukhothai, foi a primeira capital do Reino do Sião durante os séculos XIII e XIV e possui muitos monumentos que ilustram o início da arquitectura Tailandesa. Chiang Mai, fundada em 1236, é a segunda cidade e a porta de entrada para o norte do país. Além de possuir 300 Wats (templos budistas), ainda rodeiam o centro da cidade o muro e o fosso original que a protegeram durante séculos. Chiang Rai, a 785km de Banguecoque, é conhecida pela área do Triângulo Dourado onde as fronteiras da Tailândia, Myanmar e Laos convergem e que terá sido por muito tempo o centro das plantações de ópio desta região. Nesta zona vivem vários povos das montanhas, como os Karen (as mulheres girafas), Lahu, Lisu e algumas minorias que povoam as bonitas e abundantes florestas. Pelos seus recursos naturais, Chiang Rai é o paraíso para os amantes da natureza.
 
Não foi fácil decidir para onde ir, com tanta escolha e pouco tempo. Além de que quando se quer viajar para conhecer e não para fazer turismo, o tempo torna-se mesmo um bem precioso e é preciso saber geri-lo.  É esta a diferença entre um turista e um viajante e a Tailândia parece ser o paraíso para os viajantes mais jovens de diversas nacionalidades que abdicam de algum conforto no alojamento e no transporte mas conseguem manter-se pelo sudoeste asiático às vezes por um ano. Muitos destes viajantes optam por ter experiências de trabalho voluntário, seja nos campos que acolhem elefantes, ou mesmo em aldeias ensinando Inglês a crianças. Parece que viajar por si só já não chega, e o conceito de fazer férias vai adquirindo novos significados. Afinal, às vezes o que mais queremos é experimentar um estilo de vida diferente, nem que seja por umas semanas apenas.

Texto: Sónia Pinto Rodrigues


Partilhe

Para mais informações, contacte-nos já !!!